Prefeitura de Sengés entrega 42 casas na próxima sexta-feira

Leia mais

Famílias beneficiadas moram em áreas de risco e passarão a viver em casas seguras e com toda infraestrutura como redes de esgoto, pavimentação e passeios.

A prefeitura de Sengés entrega na próxima sexta-feira (03) as chaves da casa própria para 42 famílias que hoje vivem em situação de vulnerabilidade social. As obras receberam investimentos de cerca de R$ 3 milhões numa parceria entre a Prefeitura e Governo do Estado, por meio da Cohapar e Secretaria da Justiça, Família e Trabalho. Os recursos são oriundos do contrato do governo do Paraná com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), mais as contrapartidas da prefeitura. 

 

A administração municipal realizou as obras de infraestrutura no entorno do novo conjunto no bairro Bela Vista. Foram R$ 400 mil na execução da pavimentação e calçadas. A prefeitura ainda doou os terrenos para a construção das moradias. As famílias não pagarão nada pelos imóveis que são totalmente subsidiados pelo poder público.

 

São 37 moradias com 32 metros quadrados e as outras cinco terão 49 metros quadrados, todas com dois quartos, sala, cozinha e banheiro. Deste total, 5% serão destinadas a pessoas com deficiência e 3% para atender idosos.  “Com a realização do sonho da casa própria, estas famílias ganham, além de um novo lugar para morar, um novo motivo para sorrir, que certamente trará ainda mais dignidade a suas vidas”, afirmou o prefeito Nelson Ferreira Ramos, o Pezinho.

Moradias receberam investimentos de cerca de R$ 3 milhões

O programa prevê que a família seja acompanhada por um período mínimo de dois anos. Neste tempo, são desenvolvidas ações necessárias para promover a superação das vulnerabilidades identificadas no diagnóstico ao longo do processo.

 

NOVO PROJETO – Um outro projeto também na região do Bela Vista para a construção de 58 unidades habitacionais está em processo de licitação na Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar). O investimento estimado para esta obra é de R$ 4,9 milhões e vai atender famílias que têm renda mensal bruta de até três salários mínimos e prestações em torno de R$ 400, sem um valor de entrada.

 

VIDA NOVA - Eliete Ferreira da Silva, casada e com cinco filhos, morava em um barraco numa área de risco que ficou comprometido após uma forte chuva. Passou a morar em outra casa com auxílio do aluguel social. “É a realização do maior sonho da minha vida. Vou ter um lugar seguro para abrigar meus filhos”, disse.

Eliete Ferreira da Silva na casa antiga e em frente à nova moradia

Eva da Silva tem dois filhos sendo que um é portador de necessidades especiais e a casa onde moram hoje não tem acessibilidade. “É difícil porque cada vez que preciso sair com ele tenho que pedir ajuda. Agora na casa nova vai ter rampa, vamos ter uma vida bem melhor e confortável”, disse.

Eva da Silva em frente à casa antiga, sem infraestrutura, e na casa nova com rampa de acesso